O leia também é uma série de posts de indicações de links com matérias interessantes e pertinentes, todo mês eu indico novos links que chamaram a minha atenção. 

Em janeiro, acabei lendo muitas coisas sobre o ISIS (ou Estado Islâmico), porque esse assunto ainda rende muita discussão, li também muitas matérias sobre o Bowie e a sua morte, inclusive fiz um post sobre aqui. Bom, esse mês achei umas matérias muito legais, portanto separei as que mais me chamaram a atenção. Espero que gostem e digam o que acharam.

Abro o facebook com a seguinte notícia “Wesley Safadão posta foto com camisa do Bowie um dia antes da morte do cantor”. Dei um sorriso, pois achei que era brincadeira (quantas notícias falsas de morte de celebridades não vemos toda a semana?). Verifiquei a fonte da notícia: Folha de São Paulo. “Não pode ser”, pensei. Abri a página e o pior se confirmou: Bowie havia morrido na madrugada do dia 10, dois dias após seu aniversário e lançamento do seu último disco, Blackstar. Fiquei chocada. Sem acreditar, continuei a verificar o resto da minha linha do tempo, e praticamente todas as notícias falavam do Bowie.

Se você é fã de cinema, já deve saber que o novo filme do Tarantino estreiou. Os Oito Odiados chegou dia 7 de janeiro e eu fui correndo no final de semana para assistir. A história se passa alguns anos após a Guerra Civil dos EUA, em Wyoming, ao norte do país. O caçador de recompensas, John Ruth, está levando a condenada Daisy Domergue para a cidade de Red Rock para que ela seja enforcada, mas no caminho encontra dois sujeitos: um ex-soldado e também caçador de recompensas, Marquis Warren e o suposto futuro xefire de Red Rock, Chris Mannix. Impedidos de continuar viagem por causa de uma grande nevasca, os cavalheiros se hospedam no armazém da Minnie, porém, ao chegar ao local, ao invés da dona, encontram quatro sujeitos: o vaqueiro Joe Cage, o carrasco Oswaldo Mobray, o general Sanford Smithers e o mexicano Bob.
Eu estava muito ansiosa para assistir, porque amo os filmes do Tarantino, mas caso você não seja igual a mim, e esteja ponderando se deve ou não assistir, vou te dar oito motivos para você ir correndo.

2015 pode não ter sido o melhor ano para muitas pessoas, segundo os memes da internet, mas no quesito álbuns musicais ele foi recheado de surpresas agradáveis. Tivemos bandas antigas que retornaram a atividade como New Order e Blur, tivemos artistas consagrados que lançaram discos como Madonna e Bjork, e estreantes que bombaram como Tobias Jesso Jr, James Bay e Shamir. Foi um bom ano para o pop com Carly Rae Jepsen, Meghan Trainor e Demi Lovato, para o Rap também, com The Weekend, ASAP Rocky e Drake, para o indie com Imagine Dragons e Chvrves, e inclusive para o rock com Muse, Noel Gallagher e The Libertines. Porém, nenhum deles entrou nessa lista de melhores discos internacionais, nosso top 10 contém o melhor do melhor. Álbuns que marcaram, que contaram histórias e se projetaram para além da trilha.

Há ainda alguém neste planeta que nunca ouviu falar do New Order? Acho difícil. A banda tem uma história triste, creio que muitas pessoas já a conhecem. O grupo surgiu com a reunião dos membros remanescentes do Joy Division, Bernard Summer, Peter Hook e Stephen Morris. Em 1980, no auge do sucesso, o Joy Division acabou de maneira trágica, mais precisamente no dia 18 de maio com o suicídio do vocalista Ian Curtis. Após esse incidente, os membros decidiram fundar uma nova banda. Morris chamou sua namorada, Gillian Gilbert e juntos formaram o New Order.

Dezembro acabou! E 2015 também! Aleluia irmãos! Dezembro que é um mês de comemorações, natal, ano novo, meu aniversário. Não poderia faltar lançamentos bons para eu comentar, não é mesmo? Trouxe 3 discos que você, caro leitor, não pode perder. São eles: Tell Me I’m Pretty do Cage The Elephant, Júpiter do Silva e Art Angels da Grimes.


E mais um ano chega ao fim. Natal já passou e 2016 já está batendo na porta. As retrospectivas já nos fizeram pensar, rir e chorar. As listas de melhores do ano já saíram e causaram suas polêmicas de sempre. Eu não poderia deixar de fazer o mesmo, não? Decidi fazer uma playlist com as músicas que mais me impactaram e mais fizeram sucesso neste ano. A playlist Melhores Músicas de 2015 está recheada de coisa boa (não seria por menos o nome), tem músicas nacionais e internacionais, tem pop, rock, indie, rap, soul, tudo embaralhado! A playlist tem 2h47min, mas eu juro que tentei diminuir, só que foi impossível! Eu não queria deixar nada de fora, e depois de cortar umas dez músicas foi muito difícil continuar.

Thunderbitch é o mais novo trabalho da frontgirl Brittany Howard da banda Alabama Shakes. Sim, a mulher do vozeirão nos dá o ar da sua graça em mais um projeto, dessa vez, cheia de atitude rock’n’roll. Além de Howard, que se apresenta sob o apelido de Thunderbitch, a banda é composta por outros artistas de Nashville das bandas Fly Golden Eagle e Clear Plastic Masks, sob os apelidos de Matt Man, B Bone, ThunderMitch, Char Man e A Man.

Olá pessoas! Não, eu não desisti do blog. Dei uma afastada porque precisava recuperar o fôlego, pensar sobre como eu gostaria de continuar, mudar umas coisas aqui, mudar coisas em mim, enfim, espero voltar com força total em breve. Voltei para contar minhas indicações culturais de dezembro! Estava aqui fazendo uma pequena retrospectiva e pensando de que modo eu revitalizaria essa tag do blog! Então, decidi que faria de uma forma melhor, sem contar tudo o que eu vi, ouvi e li, mas indicando apenas o melhor do melhor! Sem mais delongas, vamos ao que interessa. 

Provavelmente você conhece Die Antwoord, só não está lembrando. Ou talvez conheça e seja fã, mas caso não, dê um play nesse vídeo de Enter The Ninja, que você provavelmente se lembrará dessa música que viralizou nos meados de 2009.